top of page

Data-Driven Product Management: como os dados definem a tomada de decisões

Hoje vou mergulhar no fascinante mundo do Data-Driven Product Management, ou Gerenciamento de Produtos baseado em dados.


Se você é como eu, adora saber que suas decisões têm um embasamento sólido, especialmente quando falamos de produtos e inovação, certo? Então, bora lá entender como os dados podem ser nossos melhores amigos nesse processo!


Por que ser Data-Driven?


Imagine dirigir em uma estrada totalmente escura sem faróis. Loucura, né? Pois é, gerenciar produtos sem dados é praticamente isso. Os dados são como nossos faróis, iluminando o caminho e mostrando os obstáculos (e oportunidades!) à frente. Eles nos ajudam a:


  • Entender profundamente nossos usuários

  • Prever tendências e demandas

  • Tomar decisões baseadas em fatos, não em palpites


Em suma, ser "data-driven" é garantir que cada escolha seja informada, medida e direcionada por dados reais.


Como os dados entram em cena


  • Entendendo o usuário: Tudo começa com o entendimento de quem usa seu produto. Ferramentas de análise de dados, como o Google Analytics, podem mostrar como os usuários interagem com seu produto, o que amam e o que nem tanto. Por exemplo, se você notar que uma funcionalidade específica é pouco usada, talvez seja hora de repensá-la.

  • Testando e aprendendo: A/B testing, meu amigo, é uma joia! Ele permite testar duas versões de algo (como uma página da web) para ver qual performa melhor. Você se baseia em dados reais de comportamento do usuário para tomar decisões, e não em "achismos".

  • Monitorando e iterando: Lançou um produto ou funcionalidade? Hora de monitorar como está indo. Ferramentas de monitoramento e análise de dados te dão o feedback necessário para iterar e melhorar continuamente. Nada é estático no mundo dos produtos!


Dados na prática


Foque nas métricas que realmente importam para seu produto. Isso pode variar bastante, mas algumas clássicas incluem taxa de retenção, lifetime value (LTV) e taxa de conversão.


Ferramentas


Existem várias ferramentas que podem te ajudar, como:


  • Google Analytics: Para entender o comportamento do usuário no seu site ou app.

  • Mixpanel: Ótimo para análises mais profundas e eventos específicos.

  • Tableau, Looker Studio ou Power BI: Para visualizar os dados e compartilhar insights com a equipe.


Exemplos do mundo real


  • Caso Netflix A Netflix usa dados para praticamente tudo, desde recomendar séries até decidir quais novos conteúdos produzir. Eles analisam o comportamento de visualização, preferências e até quando as pessoas pausam ou abandonam um episódio.

  • Oops! O Erro do Orkut Lembra do Orkut? Uma das razões para seu declínio foi não acompanhar rapidamente as mudanças e desejos dos usuários, algo que competidores como o Facebook fizeram melhor. Dados (ou a falta deles) podem realmente fazer ou quebrar um produto!


Dicas para atuar com Product Manager Data-Driven

  1. Curiosidade: Sempre pergunte o porquê por trás dos dados. Não aceite nada na superfície.

  2. Comunicação: Traduza os dados em histórias que as pessoas possam entender e relacionar.

  3. Colaboração: Trabalhe junto com sua equipe de dados. Eles podem ter insights que você nem imaginou.

  4. Educação Contínua: O mundo dos dados está sempre evoluindo. Mantenha-se atualizado!


Ser um Product Data-Driven Manager não é sobre acompanhar em uma enxurrada de dados, mas usá-los para tomada de decisões assertivas.

15 visualizações

Comments


  • Instagram Bruna Fonseca
  • Linkedin Bruna Fonseca
  • YouTube
bottom of page