top of page

Produtos Digitais: Quando não se sabe para onde ir... Qualquer caminho serve..."

Sou uma entusiasta do planejamento.


Acredito que ter um plano bem definido para um produto digital é como ter um mapa preciso antes de embarcar em uma viagem. Pode parecer que ter um plano impede a flexibilidade e a adaptação, mas na verdade, é o guia que nos mantém no rumo certo, mesmo diante das mudanças e respondendo à elas.


Por que ter um plano é importante?

"Para quem não sabe para onde vai... Qualquer caminho serve..."

Essa frase ecoa a importância de se ter um plano. Sem um objetivo claro, qualquer direção pode parecer válida, mas não nos levará a um lugar específico. Ter um plano é saber exatamente para onde se deseja ir.


Você já se imaginou, entrando em um meio de transporte qualquer, sem saber para onde deseja ir?


Isso é incomum, não é? Quem em sã consciência sairia fazendo isso?


NINGUÉM!? Posso te garantir que em algum momento ou etapa do gerenciamento do projeto do seu produto digital, você fez ou está fazendo isso.


E está tudo bem! Eu sei, é tanta pressão, tanto TOP DOwN, tanto direcionamento equivocado que é fácil se perder em relação ao objetivo.


Mas, a todo o momento que você não tem clareza sobre o que realmente deseja, a chance de você pegar carona rumo ao destino errado é gigante.


Na gestão de produtos, cada ação, decisão, cada passo, cada movimento do seu projeto pode te deixar mais perto ou mais distante do seu objetivo, mas …


Para quem não sabe para onde vai, qualquer caminho serve…


Esta é uma famosa frase de Alice no País das Maravilhas, escrita por Lewis Carroll. Na cena, Alice que está perdida, para em frente à uma bifurcação e pergunta ao Gato Cheshirepara onde aqueles caminhos a levam e ele a indaga: Para onde você deseja ir?


E ela responde: Não sei, estou perdida… e ele então, profere esta célebre frase:

“Para quem não sabe para onde vai, qualquer caminho serve… “


Quem nunca se viu, em algum momento do desenvolvimento do seu produto sentindo-se perdido? Sem saber o que fazer ou para onde ir?


Mas quando se trata de "trabalho", onde tempo é dinheiro, a pressa, pegue o primeiro trem e siga com a maioria, muitas vezes não nos permite parar e preparar o plano.


Quem nunca?


Peter Drucker escreveu:


Não há nada tão inútil quanto fazer eficientemente o que não deveria ser feito.


E na minha opinião, estas grandes frases se complementam. Investir tempo, dedicação e dinheiro naquilo que não faz real sentido para te colocar mais perto do que os outros querem ou do que a concorrência está fazendo, é um terrível desperdício.


Mas a pergunta de infinitos milhões de dólares: Como saber se meu produto está no caminho certo?


  • Estabelecer metas claras e alcançáveis: Ter um plano, nos orienta para onde devemos nos dirigir. Seja aumentar a base de usuários, melhorar a usabilidade ou lançar novos recursos, cada objetivo se torna tangível e mensurável.

  • Direcionar esforços e recursos: Com um plano, sabemos onde concentrar nossos recursos. Ele nos ajuda a priorizar tarefas, distribuir equipes e alocar orçamentos de forma mais eficiente, evitando dispersão de esforços.

  • Adaptar-se às mudanças de maneira estratégica: Embora um plano defina um caminho, não significa rigidez. Pelo contrário, ele oferece uma estrutura que nos permite antecipar e responder de forma mais eficaz às mudanças.


Além disso algumas ferramentas e frameworks podem nos auxiliar a mapear nosso plano e saber exatamente onde queremos chegar com o nosso produto.


Vou citar algumas e explicá-las de forma resumida:


Product Vision Board

Este canvas ajuda a criar e visualizar a visão do produto. Com seções para definir o objetivo, os principais recursos, público-alvo e métricas-chave, é um excelente ponto de partida para moldar um plano robusto.

Lean Canvas

Um modelo simplificado que foca nos aspectos essenciais do produto. o Lean Canvas ajuda a identificar problemas, soluções, proposta de valor e métricas-chave de forma concisa e direta.

Roadmaps

Roadmaps são cruciais para visualizar o cronograma e a evolução do produto ao longo do tempo. Eles permitem a comunicação clara de objetivos e marcos, mantendo todos os envolvidos alinhados.


Recentemente eu participei de um webinar com Paulo Caroli onde compartilhei minhas experiências e aprendizados de como a Lean Inception auxilia na construção de um roadmap criando um plano claro no processo de melhoria contínua no ciclo de vida do produto. Se você ainda não assistiu, clica aqui e corre lá para ver!


Mapa Mental

Mapa mental é uma representação visual de ideias interligadas que auxilia na organização de conceitos e na visualização de estratégias, sendo uma ferramenta eficaz para esboçar e estruturar os elementos-chave de um plano de produto digital, conectando informações, metas e diretrizes de forma não linear e estimulando a criatividade na elaboração e no desenvolvimento do projeto.

Management 3.0: Hipóteses de experimento

Hipóteses de experimento no Management 3.0 são suposições testáveis que impulsionam a inovação e a evolução do plano de um produto digital, permitindo validar ideias, reduzir riscos e aprender rapidamente com feedbacks tangíveis, favorecendo a tomada de decisões mais embasadas e assertivas no desenvolvimento do produto.

OKR

Objectives and Key Results - OKR é uma metodologia de definição de metas que estabelece objetivos claros e resultados-chave mensuráveis, impulsionando a criação de um plano de produto digital mais focado, alinhado e adaptável, permitindo o acompanhamento do progresso e a orientação estratégica para alcançar os resultados desejados.

SMART

É um acrônimo que define metas específicas, mensuráveis, alcançáveis, relevantes e com prazo definido, facilitando a criação de um plano de produto digital mais preciso, orientado por objetivos claros e passíveis de avaliação, o que direciona esforços, prioriza tarefas e contribui para a realização eficiente e eficaz do projeto.


entre outras...


O importante é ter um plano bem definido, pois ele será sua bússola que guiará o seu produto digital para o sucesso. Ele não é uma camisa de força, mas sim um mapa que permite ajustes e adaptações, mantendo o foco nos objetivos.


É a diferença entre andar sem rumo e ir rumo ao sucesso.


Portanto, ao entrar para esse mundinho de desenvolvimento de produtos, lembre-se: ter um plano não significa ser inflexível e muito menos deixar de responder as mudanças, mas sim estar preparado para entregas com propósito indendente das adaptações necessárias.


Quer aprender a aplicar essas ferramentas e definir um plano para seu produto? E também aplicar técnicas de priorização e realizar uma construção de um backlog para um delivery de produto eficiente?


Na minha mentoria individual eu te ensino extamente aquilo que você precisa aprender, de acordo com a sua necessidade. Clique e saiba mais.

4 visualizações
  • Instagram Bruna Fonseca
  • Linkedin Bruna Fonseca
  • YouTube
bottom of page