User Story: Critério de Aceite e Regras de Negócio

Atualizado: 14 de jan.

No artigo da semana passada abordamos o tema ‘User Stories’ e falamos um pouco sobre como escrever a estória do usuário no Scrum. Hoje continuaremos falando sobre a User Stories, mas dessa vez, vamos falar sobre os Critérios de Aceite e as Regras de Negócio.




Critério de Aceite e Regras de Negócio


Para começar, vamos dizer que os Critérios de Aceite e as Regras de Negócio são composições de uma User Stories. Ou seja, para uma User Stories estar completa, ela precisa ser composta por ambos (Critérios de Aceite e Regras de Negócio).


Normalmente os critérios de aceite são representados em forma de lista de itens de negócio que apresentam as formas de usar as funcionalidades implementadas na estória do usuário.


Chama-se critério de aceite, porque através dessa lista é possível descobrir se a User Story foi implementada de acordo com o que o PO (Product Owner) solicitou.


Funciona assim:


Os critérios de aceite são estabelecidos e cada critério apresenta requisitos a serem cumpridos junto com as regras de negócio. Feito isso, ao final, na Sprint Review (reunião de revisão), a equipe apresentará ao Product Owner a entrega do desenvolvimento de forma que atenda a estória do usuário escrita e aos Critérios de Aceite e as Regras de Negócio.


Sempre que a User Story apresentada cumprir com os critérios de aceite, e atender as regras de negócio, receberá validação quanto a sua entrega.


Vale dizer que uma vez que os critérios estabelecidos forem aceitos, a estória, já estará, em parte, aprovada. O que acontece depois disso é tema para um próximo artigo.


Dito isso, na sequência vamos entender como escrever os Critérios de Aceite de uma User Story e ver um exemplo bem claro dessa aplicação.



Como escrever os Critérios de Aceitação de uma User Story


Os itens dos Critérios de Aceite surgem a partir das perguntas que o Time Scrum faz ao Product Owner, enquanto a estória vai sendo escrita/construída. Lembrando que as perguntas feitas pelo time Scrum, devem ter o propósito de buscar por mais informações sobre os recursos que devem ser implementados.


Vejamos um exemplo na seguinte estória do usuário:

Eu, como Aluno do ensino médio, gostaria de enviar áudio explicando minha dúvida para o professor, porque eu gasto menos tempo do que escrevendo.


Critérios de Aceite:

  • Arquivos de áudio nos formatos WAV, MP3 e MPG4;

  • Arquivos de áudio de até 100mb;

  • Permitir que o aluno ouça o áudio enviado;

  • Não permitir que o áudio enviado seja excluído;


Regras de Negócio:
  • Permitir apenas 2 áudios por aluno no mesmo atendimento;

  • Os áudios devem ter no máximo 60 segundos;

  • Os áudios devem ficar armazenados em banco de dados por 90 dias e excluídos automaticamente após esse período;

  • Disponibilizar a funcionalidade apenas para alunos do ensino médio;

Regras de Negócio: Como foi possível ver, as Regras de Negócio fazem parte da User. E para escrever uma User Story é preciso mais que apenas descrever estórias


Ainda dentro da User Story precisamos falar de DOR e DOD, que, aliás, são temas dos nossos próximos artigos.


Não perca!



Se você se interessa pelo tema e quer saber como aplicar o SCRUM, transformar sua carreira, aumentar o valor de mercado da sua empresa e ser um profissional que entrega resultados de alto valor e performance, clique aqui Scrum Training e saiba mais sobre esse framework que é tendência mundial.


#canvas #MVP #persona #sprint #uxdesign #userinterface #designthinking #plc #pitch #agile #agilidade #SCRUM #kanban #lean #produtosdigitais #backlog #okr #productdiscovery #productowner #scrummaster #userstory #agilista #leaninception #planningpoker #brunafonsecapro

6.905 visualizações
  • Instagram Bruna Fonseca
  • Linkedin Bruna Fonseca
  • YouTube