top of page

EXCLUSIVO: Priorização do Product Backlog com técnicas da Lean Inception

Recentemente, compartilhei no LinkedIn, especificamente no dia 31 de janeiro, uma reflexão pessoal sobre como aplico as técnicas da Lean Inception para priorizar o Product Backlog.


Para quem não conhece, a Lean Inception é um workshop colaborativo de cinco dias destinado à definição do MVP (Mínimo Produto Viável). Este método se situa na fase de Discovery do ciclo de vida de um produto, mas quando menciono seu uso, refiro-me à aplicação dessas técnicas já na etapa de desenvolvimento, seja do MVP ou em fases subsequentes de melhoria contínua.


A resposta a Rede


A curiosidade sobre minha abordagem gerou um engajamento surpreendente. Com mais de 6K de seguidores, lancei odesafio de detalhar como aplico em um conteúdo exclusivo caso o post atingisse 20 comentários.


A reação foi imediata, alcançando mais de 5K de visualizações, 100 reações e 38 comentários, incluindo uma do próprio Paulo Caroli, autor do livro Lean Inception, expressando seu interesse com um quase sono: "Eu quero".


Motivado por esse feedback, dediquei meu carnaval para produzir o conteúdo detalhado sobre o tema.


Adaptações e Inovações


Minha jornada com a Lean Inception não se limita a uma única técnica. Já adaptei várias de suas metodologias para elaborar Roadmaps de produtos, participando inclusive de um webinar oficial da Caroli.org, onde compartilhei minhas experiências e disponibilizei o template utilizado.


Aproveita e confere:





Um guia para iniciantes e profissionais


Para aqueles que ainda não mergulharam no livro Lean Inception, recomendo fortemente a leitura. Disponível na Amazon, essa obra se tornou uma leitura essencial para qualquer profissional da área de produtos digitais.


Uma das técnicas valiosas apresentadas, é a priorização baseada em revisões técnicas, de negócio e de UX, ilustrada na sequência por uma matriz de confiança apresentadas nas páginas 82 e 83 do livro.


Aplicando a matriz de priorização


O que torna esta técnica fascinante é sua adaptabilidade e aplicabilidade direta a cada User Story. Através de uma análise detalhada, classificamos cada história e depois a posicionamos na matriz de confiança. Esta abordagem visual, marcada pelas cores verde, amarelo e vermelho, nos guia na seleção das histórias que devem ganhar prioridade no Product Backlog.


A tabelinha [FIGURA ABAIXO], mostra como classificar com a visão de esforço necessário para execução da atividade, podendo ser classificada um esforço (E), dois esforços (EE) ou três esforços (EEE). Da mesma forma o valor para o negócio, sendo um dinheirinho ($), dois dinheirinhos ($$) ou três dinheirinhos ($$$), e por fim você também classificar o valor para o usuário, sendo um amor (S2), dois amores (S2, S2) ou três amores (S2, S2, S2).


Tabela de revisão técnica, valor para o negócio e valor para o usuário da Lean Inception.
Tabela de revisão técnica, valor para o negócio e valor para o usuário da Lean Inception.

Na sequência encontramos a matriz de confiança [FIGURA ABAIXO],, onde no eixo Y, temos o nível de confiança do que fazer e no eixo X, o nível de confiança de como fazer.


Após a classificação de priorização, posicionamos as histórias na matriz e aplicamos as cores de semáforo indicadas no livro.


Verde: "Alto" e "Alto" ­= Pode ir em frente

Amarelo: "Alto e Médio" ou "Médio e Alto" ­ = Preste Atenção

Vermelho: Restante ­ = Pare e espere antes de prosseguir



Matriz de nível de confiança da Lean Inception
Matriz de nível de confiança da Lean Inception


Voilà, teremos as histórias priorizadas. 

Colaboração e decisão colaborativa


Diferentemente do habitual, onde o Product Owner (PO) frequentemente assume a responsabilidade única pela priorização, a adaptação das técnicas apresentadas da Lean Inception propõe um processo colaborativo com a inclusão de diversas perspectivas, Product Manager (PM), Business Owner (BO), Product Designer (UX) e Tech Lead.


A votação


A eficácia deste processo foi comprovada na prática. Durante a votação, PO, PM e BO, avaliam o valor para o negócio e chegam a um concenso, enquanto o UX foca no valor para o usuário e o Tech Lead estima o esforço de execução.


Essa abordagem multidisciplinar define m Product Backlog priorizado e alinhado com as necessidades do projeto.


Um convite


Encorajo você a experimentar e testar essa técnica adaptada da Lean Inception na priorização em seu próximo ciclo de planejamento.


Lembre-se, essa abordagem não substitui, de maneira alguma, o Refinamento colaborativo com o time.


Priorizar eficientemente o Product Backlog é um desafio constante, mas as adaptações das técnicas da Lean Inception provaram ser uma solução eficaz e inovadora.


Experimente, compartilhe seus resultados e vamos juntos aprimorar nossas práticas de desenvolvimento de produtos.


Estou à disposição para mentorar você nesse processo.


Até a próxima!

20 visualizações

コメント


  • Instagram Bruna Fonseca
  • Linkedin Bruna Fonseca
  • YouTube
bottom of page