WORK IN PROGRESS: Pare de começar e comece a terminar

O desenvolvimento de diversas atividades em simultâneo, é comum nas empresas ficam nas colunas esperando realização (TO DO), trabalho em andamento (WIP – Work In Progress ou DOING) e concluídos (DONE).


No caso da classificação do Work In Progress (WIP), ou trabalho em andamento, se refere a atividades (User Storys) iniciadas, mas não terminadas, ou seja, que está à espera da conclusão ou de uma eventual iteração. Na metodologia ágil de gestão, uma prática comum é limitar o Work In Progress, é o que chamei no título de: pare de começar e comece a terminar. Porém, embora seja necessário fazer essa limitação, ela nem sempre é bem vista por gestores ou até mesmo pelo time.


Por isso, eu queria falar um pouquinho sobre como o Work In Progress (WIP) pode ser prejudicial para o time e para a empresa. Podemos?


Por que limitar o work in progress?

Limitar a quantidade de Work In Progress pode influenciar na mudança de comportamento dos colaboradores positivamente. Porém, a introdução de limites de WIP é difícil para muitas equipes, pois é percebido como uma prática coercitiva, já que as pessoas naturalmente tendem a fazer o que fazem sempre, ou seja, começar mais trabalho, começar novos projetos, começar novos ciclos, começar, começar, começar… terminar é que é difícil. Não é mesmo? Eu, Bruna, particularmente, sou adepta de: o Scrum Master de cara já iniciar qualquer projeto fazendo um trabalho de sensibilização sobre os benefícios da técnica de gestão de projetos e como a limitação de WIP irá melhorar a produtividade de todos. Ter várias atividades categorizadas como WIP prejudica a cadência da sprint, por isso, o ideal é manter a sprint apenas com uma única tarefa por desenvolvedor nesta coluna, para que o trabalho tenha foco e comprometimento em uma única tarefa e que de preferência não ultrapasse um dia de execução. Dito isso, quero trazer alguns benefícios do 'não-acúmulo de WIP’. Vejamos!

Os benefícios de terminar os trabalhos iniciados

Os ganhos com um limite para o Work In Progress são muitos e geralmente logos para a equipe que compreende a importância de parar de começar atividades, e passar a terminar as atividades já iniciadas.


Alguns dos benefícios são:

  • Redução da necessidade de realizar multitarefa e mudança de contextos;

  • Ciclos menores;

  • Maior senso de realização;

  • A pressão sobre o time cai;

  • O time se torna mais produtivos;

  • Consegue-se mensurar melhor as datas inicial e final de tarefa no trabalho;

  • Permite descobrir tanto a capacidade quanto o tempo do ciclo (Lead time e Cicle time).


Work in progress limitado e agora?

Após definir que o WIP será limitado, crie o hábito de sempre que um item for terminado, verificar se existem bloqueadores. Se houver, tente resolvê-los. Se não houver, olhe para todos os itens e somente inicie um novo item quando não houver literalmente nada que você possa fazer pelos itens em curso. Afinal, não basta ser ágil, se não pensar ágil! Hoje, depois de anos atuando com as metodologias ágeis, posso dizer que o objetivo maior deve estar em: as pessoas devem pegar menos trabalho e se concentrar em terminar itens em vez de iniciá-los. Ou seja: Menos multitarefa e mais foco. Contudo, sempre defendo que os limites de WIP devem ser acordados pela equipe antes de um projeto começar. Afinal, combinado não sai caro! Uma ótima pauta para a retrô, o que acha?

Se esse assunto te interessou, leia também: A transformação ágil está acontecendo! Por que realizar Treinamentos Corporativos?


#sprint #agile #agilidade #SCRUM #lean #produtosdigitais #productowner #scrummaster #agilista #agilizareduca #brunafonsecapro

1 visualização
  • Instagram Bruna Fonseca
  • Linkedin Bruna Fonseca
  • YouTube