Prática de Retrospectiva: Entendendo o Prato Principal

Quando falamos de práticas de retrospectiva, estamos falando de uma cerimônia, ou para ficar mais fácil de entender, uma reunião.


Uma cerimônia dividida em 4 partes:


  1. O Check-in: uma etapa destinada à verificação de segurança. Nela acontece a coleta de expectativa do time

  2. O Energizer: que é o momento de conectar as pessoas e tirar o foco delas de outras coisas, gerando engajamento.

  3. O Prato Principal que falaremos agora.

  4. E o Check-out que falaremos no próximo conteúdo.


Prato Principal


O Prato Principal é a parte central dessa cerimônia, cujo objetivo é buscar a melhoria contínua; dentro dele podem acontecer 1 ou mais atividades, desde que permaneça com o foco em reunir dados. Vale lembrar que as dinâmicas do Prato Principal trazem como característica o anonimato, deixando os membros do time livres, para caso queiram se identificar.


Sintetizando: esse é o momento de coletar dados, fazer reconhecimentos e buscar melhorias nos processos.


Geralmente, esse momento contém dinâmicas que levam o time a refletir, reforçando a visão comum e gerando novos insights.


Lembra que no conteúdo anterior, eu disse que 80% do período de reunião deve ser destinado a esta parte? Agora deu para entender porque, não deu?!


E aqui, quero dar ênfase a: FACILITADOR, escolha antecipadamente as atividades a serem desenvolvidas, tendo em mente os participantes e o propósito desejado, pois esse é o momento ideal para ouvir o time.


Dito isso, quero trazer agora algumas sugestões de dinâmicas que podem ser usadas durante o Prato Principal.


Lembrando que se você não leu os outros dois artigos da série, no final deste conteúdo, vou deixar o link de ambos para você não perder nada.


Sugestões de Dinâmicas para o Prato Principal


1. Âncoras e Motores


Nessa dinâmica, desenhe uma lancha em um papel de flip chart, dê a ela um motor forte e uma âncora pesada.


Feito isso, os membros da equipe devem escrever silenciosamente, em notas que impulsionam a equipe para frente, e o que a mantém no lugar (uma ideia por nota).


Após isso, poste o post-it do motor e âncora respectivamente, leia cada um deles e discuta como você pode aumentar 'motores' e cortar as âncoras.


2. Casamento Anglo-Americano


(A terminologia é baseada em um costume de casamento anglo-americano.)



Nessa dinâmica será necessário criar uma matriz com quatro colunas, onde a equipe anota as observações que se enquadram em cada uma das seguintes categorias:

  • Alguma coisa velha: Feedback positivo ou crítica construtiva sobre uma prática estabelecida.

  • Algo novo: Feedback positivo ou críticas construtivas sobre experimentos em andamento, ou seja, algo que o time começou a fazer recentemente.


  • Algo emprestado: Uma sugestão para algo que a equipe poderia tentar.

  • Algo azul: Qualquer bloqueador ou outra fonte de decepção.


Feito isso, coloque as observações nas colunas apropriadas e discuta.


3. Que BOM! Que TAL? Que Pena!


Trace três colunas e explique-as aos participantes:


  • Que BOM! o que fazemos que agrada, que está bom, e atinge os objetivos propostos.

  • Que TAL? o que precisa melhorar e o que fazer para melhorar (sugestão, ideia, ou hipótese).

  • Que PENA! o que não está sendo feito, o que é feito e não está bom, e/ou o que precisa ser retirado ou modificado.


Para finalizar, peça aos participantes que escrevam seus comentários em post-its e os coloque em uma das três colunas.


4. Montanha Russa


Desenhe uma montanha-russa em um flipchart e peça para o time escrever em post-its, pontos que motivaram o time na sprint e pontos que causaram excesso de adrenalina.


Peça também para que distribuam os post-its no desenho da montanha russa, nos locais que eles entenderem que faz sentido para o tema levantado no post-it.


5. Cartão Postal


Nessa dinâmica peça para cada integrante do time enviar um cartão postal para alguém que já fez parte do time e não faz mais, alguém que esteja de férias ou até mesmo para alguém do futuro.



Cada um deve desenhar o seu cartão postal com imagem, selo e a área de texto. Na área de textos eles devem escrever como foi a última sprint, pontuando os pontos positivos mais marcantes, o que considera que não deu certo e aquilo que não foi tão bom.


Bom, essas são as 5 dinâmicas que considero mais interessantes para esse momento, mas existem outras e vale a pena explorar todas. Claro que não na mesma cerimônia. Por favor!


Continuando com a estrutura do Prato Principal, temos ainda a parte da filtragem e os próximos passos.


Vejamos:


Filtragem



O Prato Principal irá gerar muita informação e todas vão ser reunidas de uma vez só. E não dá para resolver tudo! Por isso, é preciso criar uma forma, junto com o time, para escolher as prioridades.


Ou seja:

  • O que é mais importante;

  • O que está se repetindo

  • Quais pontos causam mais impacto

  • Quais são mais simples de se resolver

Esses conceitos vão te ajudar a entender por onde começar a trabalhar as melhorias.


Os próximos passos


Os próximos passos são:


  • Priorizar os principais pontos de melhoria com o time.

  • Discutir os pontos.

  • Entender quais são as ações a serem realizadas para resolvê-los.


Detalhe importantíssimo: o time deve colaborar na construção das ações e concordar com o que for decidido.


Entendido? Sim? Que bom!


Então, já podemos parar por hoje e retomar na próxima semana para finalizarmos a nossa série sobre práticas de retrospectiva, abordando e esclarecendo a etapa de check-out.


Enquanto isso, leia sobre: Check-in e Energizer!


Até semana que vem!


#sprint #agile #agilidade #SCRUM #lean #produtosdigitais #productowner #scrummaster #agilista #agilizareduca #brunafonsecapro

4 visualizações
  • Instagram Bruna Fonseca
  • Linkedin Bruna Fonseca
  • YouTube